Como andar de bicicleta na região central de Goiânia?

Eu penso que você já anda de bike na rua, logo vou ter dar as dicas que tem funcionado comigo desde que sofri três acidentes leves.

Os perigos constantes são:

. areia de todo tipo de obra (privada ou pública);

. as caminhonetes;

. os motoqueiros que atravessam quando o sinal está vermelho;

. a única ciclovia que existe tem diversos desníveis no caminho (e areia);

. os pedestres que ficam na ciclovia olhando o celular;

. os automóveis que não acendem os faróis durante a noite ( se eu não contar 02 no mínimo em 7 km, tem algo estranho no multiverso).

Força de atração X força da aceleração

 

Goiânia não é CENTRAL CITY mas tem uma força de aceleração própria: quando o sinal (semáforo) fica verde ou quando ele fica amarelo.

O ciclista precisa esquecer as marchas que a bike tem e praticar o equilíbrio em baixa velocidade.

A força de atração goiana é um fato que testei: não importa a que velocidade você se aproxime de uma curva: vai surgir um carro na pista ou uma caminhonete que ocupa toda a calçada manobrando. ( quer conferir: 7:13h de segunda a sexta na padaria da T-9 próxima a Record tv – a caminhonete (ou as ) está lá, saindo da padaria e impedindo o trânsito da T-9 no horário de trabalho.

Como circular de bicicleta neste contexto:

Use capacete, tenha farol e o pisca-pisca vermelho;

Ande preferencialmente na mão correta (aqui não é RJ) [ uma caminhonete pode te acertar às 7:10h  em uma rua interna mas se fosse transitar na contra-mão, pedestres e motoristas te olham como um herege);

. Saiba que a cada 7 km você vai ter que parar para alguém que está fazendo algum tipo de barbeiragem pelo 04 vezes; ( você só estará a salvo quando chegar ao seu destino);

. Não use celular, nem música e mantenha as mãos no guidão o tempo todo ( se você perceber que está em paz, tem algo errado e você está desatento);

. Saiba que os sentidos das ruas estão sempre sendo alterados (o que é mão hoje, pode não ser amanhã);

. Saiba que sempre haverá uma obra no caminho ( e areia na pista);

. Não pedale na descida e pedale no mesmo ritmo na subida. Não vale a pena correr. Lembre-se da lei de atração goiana ( você vai ter que parar para alguém mesmo);

. Falei dos buracos? Eles estão em toda parte ( e areia);

. Se você cair, lembre-se que ninguém vai te ajudar. (minha experiência pessoal)

O ciclista pedala na MATRIX

Quando estiver pedalando, lembre-se que, ou você é o MORPHEUS ou a TRINITY (filme 1)*: e todos os outros são agentes Smith. ( pedestres e ciclistas)

Quem está dirigindo não imagina que o ciclista pode ser um parente, um cliente ou um eleitor.

Agente Smith pensando: …está de bicicleta? não consome gasolina, não destrói as ruas, não “engarrafa” as pistas, logo, o ciclista é o inimigo – não faz parte do sistema MATRIX. Esse ciclista já que é incapaz de possuir um automóvel, deveria usar o ônibus lotado que passa a cada 40 minutos… fiquei com raiva… vou acelerar e encostar bastante no meio-fio.

 

Agente Smith pensando: …o ciclista subiu na calçada… vai assustar meu cachorro.. só porque na pista tem carros estacionados nos dois lados e o ciclista não tem espaço seguro para passar… esse suor me enoja… essa disposição física… deve ser um bug na MATRIX… mas ele será pego na esquina… vamos providenciar uma caminhonete tocando música sertaneja bem alto.

 

Agente Smith pensando: …esse condômino é ciclista e vai todo dia para o trabalho de bike. Vamos esvaziar os pneus dele para que ele retorne ao sistema MATRIX. Vai de ônibus seu “indecente”.

Você não está sozinho

Quem pedala em Goiânia deve ter percebido que emana uma consideração fraternal entre ciclistas.

É no momento que se cruzam, um ligeiro cumprimento de cabeça e uma cumplicidade no olhar.

É quase que um estímulo! –

– “ Pedala, pedala ciclista! ” 


* não citei o Neo porque ele ressuscitou e isto não rola na vida real. Se você não se cuidar e parar embaixo de uma caminhonete, é fim de jogo.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.